Mulher perde trabalho por falta de informação da unidade de saúde de ilha (Vídeo)

0
163

Veio para a Graciosa, em março, e no final de junho uma confusão não permitiu que fizesse o teste à Covid-19 e que pudesse regressar à Áustria, país onde trabalha.

Sílvia Cunha trabalha em hotéis na Áustria desde 2012.

A pandemia interrompeu-lhe o contratado em março e decidiu voltar a casa. Com o regresso marcado para o início de julho, marcou no dia 15 de junho, no centro de saúde, o teste à Covid-19 que era obrigatório para entrar na Áustria.

A assistente técnica marcou o teste para o dia 29 de junho, tendo sido reconfirmado por telefone no dia 26.

Eram as ordens que a unidade de saúde tinha recebido da Direção Regional a 18 de junho, três dias após Sílvia Cunha ter marcado o seu teste. A graciosense queixa-se da falta de informação.

Sílvia Cunha foi confrontada com a possibilidade de fazer o teste a 30 de junho, numa clínica privada em São Miguel, mas já não chegava a tempo da viagem para a Alemanha a 1 de julho.

Só agora decidiu tornar pública a sua história, porque acaba de receber a resposta da Unidade de Saúde da Ilha Graciosa à sua reclamação.
O Conselho de Administração apurou junto da Delegação de Saúde Concelhia que nunca esteve agendado qualquer teste à Covid-19 para a utente em causa.
Sílvia Cunha diz que é falso, com base na informação manuscrita da assistente técnica.

Da parte da Administração da Unidade de Saúde obtivemos a informação de que não havia nada mais a acrescentar à resposta dada à utente.
Além do bilhete que já tinha pago, a graciosense perdeu também o contrato de trabalho que ficou suspenso até dezembro.

 

 

Fonte: RTP Açores (clique neste link para ver o video)

O conteúdo Mulher perde trabalho por falta de informação da unidade de saúde de ilha (Vídeo) aparece primeiro em Azores Today.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here